NOSSO BLOG

Fique por dentro de todas as notícias do mercado imobiliário.

Para quem sonha com a casa própria, vale a pena sacar o dinheiro do FGTS?

Como forma de estimular a economia do Brasil, que sofre com a crise desde 2014, o governo federal decidiu liberar o saque do dinheiro das contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Isso significa que a verba acumulada nas contas que ficaram sem movimentação até o fim de 2015 poderá ser sacada a partir de março. Se antes a conta era liberada apenas para casos específicos, como demissão por justa causa, câncer ou para a compra de um imóvel, agora todos poderão ter acesso. O que resta avaliar é se vale a pena sacar o dinheiro, seja quem tem a pretensão ou não de realizar o sonho da casa própria.

 

A ideia do governo é, com o acesso às contas inativas, ajudar a retomada do crescimento econômico. Atualmente a verba retida é usada pelo governo para políticas sociais, inclusive voltadas para a área de habitação. Mas, com esta nova regra, será liberado um recurso que atualmente está retido para o trabalhador e, consequentemente, este dinheiro será injetado na economia.

 

Não existe nenhuma hipótese de que manter o dinheiro na conta do FGTS seja vantajoso (Foto: Shutterstock)

 

De acordo com a Caixa Econômica Federal, gestora do FGTS, hoje em dia existem 18,6 milhões de contas inativas, que somam R$ 41,4 bilhões. O saldo poderá ser sacado entre março e julho, de acordo com o cronograma de pagamento.

 

A dúvida que pesa agora é se vale mesmo a pena sacar o dinheiro da conta inativa do FGTS ou se é melhor deixar o recurso retido. O planejador financeiro Paulo Marostica é enfático na resposta. “Não existe nenhuma hipótese de que manter o dinheiro na conta do FGTS seja vantajoso”, afirma. A questão é que o rendimento do FGTS é de apenas 3% ao ano mais a TR (taxa de referencial), ou seja, é mais baixo do que a inflação ou de qualquer outro tipo de aplicação.

 

Existem vários meios de usar o dinheiro do fundo para alcançar um resultado melhor, a depender do perfil de cada pessoa (Foto: Shutterstock)

 

Existem vários meios de usar o dinheiro do fundo para alcançar um resultado melhor, a depender do perfil de cada pessoa. “Para o poupador e conservador, o ideal é sacar o dinheiro e colocar em uma poupança. Desta forma, já garante um rendimento 5% maior ao ano”, explica Marostica. Para o investidor mais agressivo, a dica é outra. “Ele pode aplicar o recurso em um título público ou de crédito privado porque ele vai ganhar ainda mais”, acrescenta. “Já para quem tem uma dívida, também vale a pena usar o dinheiro para quitá-la, já que os juros pagos são bem altos que o rendimento do FGTS. Se for um débito com o cartão de crédito, por exemplo, os juros podem chegar a 15% ao mês”, completa o planejador financeiro.

 

Para quem sonha em comprar um imóvel, a verba da conta inativa do fundo pode ser um impulso. “O dinheiro pode ser usado para dar entrada na casa própria ou para quem já tem um financiamento imobiliário, pode quitar parcelas de forma adiantada. Afinal de contas, o juros do sistema brasileiro de habitação vai ser de, no mínimo, 9% ao ano”, ressalta o planejador financeiro.

 

O dinheiro pode ser usado para dar entrada na casa própria ou para quem já tem um financiamento imobiliário, pode quitar parcelas de forma adiantada (Foto: Shutterstock)

 

Mesmo para quem ainda tem um imóvel apenas nos planos futuros, ainda assim tirar o dinheiro da conta inativa do FGTS é a melhor opção. Investir em outro meio pode fazer com que o recurso renda mais e o sonho da casa própria fique mais palpável e próximo. “Neste caso, se a pessoa tem um projeto a curto ou médio prazo de usar o dinheiro, o melhor é investir em um instrumento de rendimento de renda fixa para não correr riscos de desvalorização como em uma ação”, conclui o planejador financeiro.

 

 

Consulta à conta

 

Existem várias formas de consultar o saldo do FGTS das contas inativas. A primeira delas é ir pessoalmente no balcão de atendimento de uma agência da Caixa Econômica Federal. Com o Cartão Cidadão e a senha em mãos, também é possível fazer a consulta em um posto de atendimento.

Outra possibilidade é através do site da Caixa, informando o NIS (PIS/Pasep) e com uma senha cadastrada pelo trabalhador. Outras formas são através do e-mail e mensagem no celular. Também no site da Caixa pode-se fazer a opção para receber informações por e-mail ou mensagem no celular com o depósito mensal na conta do FGTS.

Há ainda um aplicativo para smartphones, pelo qual é possível consultar o saldo. Ele está disponível para download para qualquer sistema operacional, seja IOS, Android ou Windows.

 

Fonte: Zap em Casa